28/06/2017

Conheça os tipos de Dieta Enteral

dieta enteral

A dieta enteral é a maneira de repor nutrientes que o organismo precisa quando o paciente está incapacitado ou com dificuldades de ingerir alimentos. Muito utilizada por pessoas em coma, desnutridas ou com doenças como câncer e Alzheimer, ela é administrada na forma líquida por meio de um tubo flexível (sonda) ou por via oral, dependendo da condição clínica.

Os nutrientes que compõem uma dieta enteral são os mesmos que o paciente obteria pelo consumo dos alimentos, como carboidratos, vitaminas, proteínas, gorduras, minerais e até mesmo água. Porém, existem tipos de nutrição diferentes, com produtos específicos para atender às necessidades particulares de cada um, dependendo do peso, altura, nível de autonomia e condição médica e estado nutricional.

LEIA TAMBÉM: Orientações e cuidados para a terapia nutricional domiciliar

Existe, por exemplo, a dieta enteral hipercalórica, que contém mais calorias, para atender principalmente os pacientes com desnutrição. Tem também produtos com maior nível de proteínas e gorduras, com alto teor de fibras, isentos de lactose, sem glúten, entre muitos outros (veja no quadro abaixo).

TIPO DE DIETA COMPOSIÇÃO INDICAÇÃO
Normocalórica Dieta enteral completa com quantidades normais de calorias. Diversas patologias, tais como doenças neurológicas, cardiopatias, hipertensão, dislipidemias, anorexia nervosa, entre outras.
Hipercalórica Dieta enteral rica em calorias. Desnutrição, anorexia nervosa, neoplasias, cardiopatias, doenças neurológicas, geriatria, restrição hídrica, pré e pós-operatório.
Hiperprotéica Dieta enteral com altos níveis de proteínas. Pacientes com necessidades proteicas muito aumentadas, críticos em UTI, entre outras.
Com fibras Dieta enteral enriquecida com
alto teor de fibras.
Pacientes com necessidades de consumir mais fibras para regularização do trânsito intestinal e outras patologias.
Pediátricas Dieta enteral específica para crianças. Crianças com má absorção, intolerância a dietas poliméricas, risco de broncoaspiração, pacientes críticos, com função gastrintestinal comprometida, pré e pós-operatório, entre outros.

Dieta enteral em pó ou líquida?

Todas as dietas industrializadas podem ser utilizadas no hospital ou até mesmo em casa, após a alta médica. Existem os produtos em pó, que precisam ser diluídos em água, e os líquidos, que já vêm prontos para o uso.

Independente se for em pó ou líquida, muitos cuidadores preferem a nutrição enteral industrializada às dietas caseiras porque ela já vem com a quantidade específica de nutrientes que o paciente necessita, além de ser muito mais prática de administrar.

Se o paciente se alimenta por sonda, o tipo de dieta também será definido com base na via de acesso dele: se é nasogástrica (pelo nariz até o estômago), nasojejunal (pelo nariz até o intestino), gastrostomia (diretamente no estômago) ou jenunostomia (diretamente no intestino).

Seja qual for o caso, o profissional de saúde (médico ou nutricionista) vai orientar o melhor tipo de dieta enteral para cada condição, a fim de garantir a melhor nutrição ao paciente.

SAIBA MAIS: 10 Respostas Sobre Nutrição Enteral

Related Posts

3 comentários para “Conheça os tipos de Dieta Enteral

    1. Olá, Rose! A dieta artesanal pode ser utilizada por pacientes com sonda nasoentérica. O importante na utilização da dieta caseira é que o paciente tenha acompanhamento de um médico, para que ocorra suplementação de vitaminas e minerais, e/ou nutricionista para que seja avaliado o estado nutricional, adequação da dieta caseira e, quando necessária, a indicação de módulos nutricionais para prevenção da desnutrição. Obrigada pela mensagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *