27/09/2017

Como funciona a alimentação por sonda?

alimentação por sonda

A administração de uma dieta enteral sempre exige um cuidado a mais, seja por parte dos profissionais de saúde no hospital, seja pelo cuidador – quando o paciente já está em casa, mas ainda precisa deste tipo de nutrição. É especialmente nesta hora que surgem muitas dúvidas sobre alimentação por sonda. Como fazer isso da forma correta? É perigoso? Quais os cuidados com a higienização? Vamos responder a tudo isso neste artigo.

Antes de falarmos especificamente sobre a alimentação por sonda, vamos falar um pouco mais sobre como é esse tubo fininho. Geralmente, ele é feito de borracha macia e flexível, para não causar incômodo na hora de alimentar o paciente ou introduzir medicamentos.

Basicamente, a função da sonda na alimentação é ser a “condutora” dos nutrientes necessários para a saúde ou fortalecimento do paciente, quando este está impossibilitado não ou não consegue ingerir a quantidade suficiente de alimentos por via oral. A escolha da dieta enteral deve ser feita pela equipe médica ou nutricionista, e deve ser seguida à risca em casa também.

A sonda é introduzida pelo nariz e vai até o estômago, jejuno ou íleo. Este procedimento, porém, apesar de simples, deve ser realizado no ambulatório por profissionais de saúde. Em caso de saída acidental da sonda, procure a equipe que cuida do paciente. Não tente recolocar em casa.

LEIA MAIS: O que é e para que serve a sonda nasoenteral

Com o material posicionado, a alimentação por sonda pode ser realizada em casa normalmente pelo cuidador ou, em muitos casos, até mesmo pelo próprio paciente. Veja algumas orientações importantes.

Recomendações úteis para alimentação por sonda

Sabemos que alimentação por sonda é recomendada quando o paciente tem dificuldade para engolir alimentos ou até mesmo pela falta de apetite. Por isso, é muito utilizada por pessoas que fizeram cirurgias na boca ou na garganta ou que estão muito debilitadas.

Existem dois tipos de alimentação por sonda possíveis: a caseira e a industrializada. Normalmente, os profissionais de saúde indicam uma dieta enteral industrializada, que já vem na medida exata para suprir as necessidades nutricionais de cada paciente.

Além disso, a dieta industrializada é preferível para a alimentação por sonda devido aos riscos de entupimento frequente na utilização da nutrição caseira e pelo maior risco de contaminação, devido ao excesso de manipulação por ser triturada ou batida e peneirada – o que nem sempre é feito da maneira adequada em casa.

Listamos aqui algumas orientações importantes para a administração da alimentação por sonda em casa. Confira:

– Caso o paciente esteja de cama, a dieta deve ser aplicada com ele sentado ou com a cabeceira levantada.

– A tolerância do gotejamento é individualizada. Por isso, mantenha o gotejamento indicado pelo profissional que acompanha o paciente, para evitar diarreias ou vômitos.

– Lave bem as mãos com água e sabão antes do preparo.

– As soluções devem ser preparadas em quantidade suficiente para, no máximo, um dia.

– Use somente água filtrada e/ou fervida na preparação da solução (caso utilize a solução em pó).

– Guarde a solução na geladeira e retire 30 minutos antes do uso. É importante não introduzir a alimentação por sonda muito gelada ou quente. A temperatura ambiente é o mais adequado.

– Após passar a dieta pela sonda, ela deve ser lavada com 30 ml de água.

– Lave todos os utensílios destinados à alimentação do paciente diariamente, com água e sabão neutro e enxague bem.

– Guarde todo o material em local seco e limpo.

Esperamos que essas dicas sobre alimentação por sonda tenham colaborado de alguma forma. Se gostou do nosso artigo ou tem alguma dúvida, deixe sua opinião aqui nos comentários.

Continue em nosso blog e veja diversos outros textos relacionados à nutrição enteral, saúde e qualidade de vida!

Related Posts

2 comentários para “Como funciona a alimentação por sonda?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *